Error
  • JUser: :_load: Unable to load user with ID: 148
Monday, 26 August 2013 12:47

Berimbau e outros poemas

Written by 
Rate this item
(0 votes)
De Manuel Bandeira. Il. Marie Louise Nery. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994. 59p. De Manuel Bandeira. Il. Marie Louise Nery. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994. 59p.

De Manuel Bandeira. Il. Marie Louise Nery. 2ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994. 59p. 

 

Berimbau e outros poemas. Manuel Bandeira. Il. Marie Louise Nery. 2ª ed. Rio de Janeiro:Nova Fronteira,1994. 59p. (16,1 x 23,2 x 0,4cm - 120gr.)

  • Projeto Viagem da Leitura/FNLIJ - 1987

PARECER 1

A coletânea de poemas de Manuel Bandeira selecionados pelo escritor e professor mineiro, Elias José, é resultado do interesse editorial em reunir poemas do poeta pernambucano, considerados acessíveis à fruição também pelo público infantil.

A seleção de Elias José foi criteriosa ao recolher textos que têm o traço definidor do poeta - o lirismo - que perpassa a poetização do cotidiano, de matérias folclóricas, de flagrantes humorísticos, da infância (brincadeiras de rua, acalantos, bichos de estimação), como também o senso fantástico que preside à concepção da verdadeira poesia.

Entre os poemas selecionados prevalece a composição em verso livre, com ritmo interno, elaborada por poeta maduro, com domínio criador, que aderiu à renovação moderna, passando da forma clássica (de sua formação inicial) à libertação estética. O último poema de Berimbau e outros poemas, Os sapos, contém a posição modernista de Manuel Bandeira e a sua visão crítica do tradicionalismo com o qual ele rompe, integrando a primeira geração do modernismo brasileiro.

Tanto as formas criativas dos textos, com linguagem simples e lírica, como os temas que são vistos com o olhar sincero do poeta (que não oculta, em alguns poemas, sentimentos de perda, saudade, tristeza), dão a medida do imaginário poético de Bandeira, possível de ser usufruído por crianças e adolescentes.

Esse imaginário - que é pedra angular de Berimbau e outros poemas -, peculiar pela ternura que contém, enriquecido com a expressão também terna dos desenhos da ilustradora Marie Louise Nery (que já dera bela feição gráfica a livros, como: A arca de noé, de Vinícius de Moraes; O cavalinho azul, de Maria Clara Machado; Criança, meu amor, de Cecília Meireles), afina-se perfeitamente à visão sensível de mundo, típica das crianças, por isso, terá ressonância na interioridade dos pequenos leitores.

A obra, que pode ser visitada também pelos leitores adultos, ou revisitada pelos já leitores do poeta, é experiência editorial louvável, já que são raros os projetos que viabilizam uma aproximação das crianças com poetas da literatura adulta, fazendo-a através de seleção e tratamento gráfico bem cuidados.

Vânia Resende

PARECER 2

Antologia de 29 poemas recolhidos da obra de Manuel Bandeira, selecionados com sensibilidade pelo poeta/professor Elias José.

Da seleção fazem parte alguns dos poemas mais populares de Bandeira, que não por acaso podem fazer (e têm feito) sucesso entre os jovens leitores. São poemas na sua maioria curtos, bem humorados e/ou nostálgicos, como "Irene no céu", "Andorinha" e "Porquinho da Índia".

Os mais longos apresentam, em coerência com o tema/assunto, estruturas repetidas, com variações pequenas e significativas. Tal é o caso de "Trem de ferro", exemplo clássico de imitação (nos estratos fônico e óptico) da própria viagem do trem; e de "Balõezinhos", "Na rua do sabão", "Boca de forno", "Os sapos".

São poemas onde o lirismo se baseia na extrema (aparente, ou como resultado) simplicidade de construção, fundada na supressão de dados periféricos e centrados na essência. Essa simplicidade casa bem com seus temas preferidos na antologia - sobretudo surgidos do cotidiano, de onde emergem figuras e locais populares (camelôs, feiras-livres), animais domésticos e, naturalmente, a criança e sua percepção de mundo. Freqüentemente sem rima e com a predominância do ritmo não melódico, como bons representantes do modernismo brasileiro, os poemas impressionam pela diversidade e pela originalidade.

A capa e miolo têm ilustrações de Maria Louise Nery. A capa, bastante despojada, tem em primeiro plano um berimbau e em segundo plano balões e bandeiras, numa sugestão do "outros poemas" do título.

No miolo, as ilustrações em preto e azul (algumas só em preto e branco), em lápis e aquarela, tendem à pura tradução do poema e, se não chegam a comprometer, colaboram pouco para uma reinterpretação do poema. A qualidade da poesia de Manuel Bandeira, contudo, sobrevive.

Maria Antonieta Cunha

Read 2889 times